Minha primeira vez

Num mesmo dia recebo dois relatos bem parecidos. Iniciavam em um tom quase confessional:

“Eu nunca havia feito isso antes…”, “Parecia mais fácil baixar grátis de alguns lugares da internet…”

Prosseguiam apontando uma mudança de rumo:
“…aí um professor me indicou…”

E concluíam com esta redenção:
“Foi a primeira vez que comprei uma fonte.”

Foram as mensagens mais gratificantes que já recebi como type designer independente.

Lembro da minha primeira vez. Era preciso telefonar para o Cláudio Rocha (na época representante da Linotype) e efetuar um depósito bancário. Ele gravava elas num CD e enviava pelos Correios em uma bela embalagem. [Nota mental: será que ia ser legal começar a fazer isso, hoje?]

Os tempos mudaram mas continuamos precisando conversar sobre comprar fontes. Não sobre como elas são importantes (você, que está aqui, já sabe disso), mas das principais barreiras para a compra que eu costumo ouvir.

Fontes são caras

Valor é algo relativo. Mas existe uma grande chance de você gastar mais com toner ou motoboys do que com fontes no seu estúdio. Há anos o mercado está se tornando mais e mais acessível, acompanhando todos aqueles que distribuem seu conteúdo pela internet.

Hoje é possível encontrar fontes de qualidade por apenas poucos dólares. Lembrando que uma vez licenciadas, as fontes podem ser utilizadas sem nenhum limite de tempo, localidade ou número de projetos, elas são um investimento baixíssimo já a curto prazo. O que nos leva ao segundo ponto:

Nunca sei o que posso ou não fazer com elas

Somos péssimos em explicar isso, é verdade. Mas estamos tentando. Cada foundry possui licenças específicas, mas podemos generalizar dizendo que a maioria delas só quer saber o número de usuários que precisam instalar e utilizar as fontes dentro de uma mesma empresa. É como um software, aliás, fontes são tecnicamente softwares.

O número de clientes ou projetos nos quais as fontes serão utilizadas não importa nem um pouco. O que não pode é repassar elas adiante. Além disso, utilizar elas na web ou em apps geralmente requer licenças específicas. De qualquer forma, hoje as foundries estão muito mais abertas e prontas a dialogar com os seus clientes. Na dúvida, entre em contato. Tenho certeza de que você não será atendido por um departamento terceirizado – a maior chance é você falar diretamente com o designer. O que nos leva ao terceiro ponto:

Type designers são designers

Ao fazer o download ilegal de uma fonte, você está prejudicando seus próprios colegas de profissão. Eu sei que algumas vezes, historicamente, o type design era visto como uma arte obscura e inacessível, mas a verdade é que o projeto de uma fonte segue um processo de design bastante comum: Pesquisa, Exploração, Desenvolvimento e Finalização – tudo isso em não menos do que uma centena de horas. Tudo bem que temos um olho ruim para cores, mas compensamos isso no controle das curvas bézier.

O número de type designers independentes cresceu exponencialmente nos últimos anos e todos eles buscam criar uma relação próxima com o seu público. Um não vive sem o outro. Precisamos ouvir de vocês qual é a próxima tendência, os problemas atuais a serem resolvidos e estamos de cabeça bem aberta para conversarmos até sobre novos modelos de negócio. Como as nossas fontes podem ajudar você no seu trabalho?

Valorize o trabalho do seu amigo type designer independente. Aqui no Brasil, faço questão de divulgar por onde você pode começar:

Depois da primeira vez, você não vai querer parar : )

Abraaaaço,
Fabio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *